SÍMBOLOS DO MUNICÍPIO DE MAMBORÊ
www.trnoticias.com.br

Bandeira
Brasão
Hino


Bandeira


Brasão

 

Hino

I
Mamburê, “povoado distante”.
Mamborê, cidade querida.
Sob o Sol, sempre brilhante,
És refúgio de amor e de vida.
 
Estribilho:
 
Mamborê, cidade querida.
Mamborê, jardim de esplendor.
Terra - cheia de vida,
Terra - coberta de amor.

II  
Os teus filhos, os pioneiros,
Vislumbraram teu esplendor.
Com respeito, verdadeiro,
Te cobriram de glória e de amor.

III
Desde a origem, Natividade,
Sempre foste belo rincão.
Mamborê, minha cidade,
Bem guardada no meu coração.

IV
Mamborê, formosa, altaneira,
Sob a Virgem Imaculada.
És feliz, alvissareira,
E por Deus sempre abençoada.

SIGNIFICADOS E OUTRAS INFORMAÇÕES:

Bandeira:

A bandeira do município foi projetada e realizada pelo professor Sebastião Ferrarini, da Enciclopédia Simbológica Municipalista Paranaense - ESIMPAR e da Coordenação de Educação Moral e Cívica do Paraná - COMOCI - PR.

Trata-se de um retângulo em azul, na proporção de 14 (quatorze) módulos de largura por 20 (vinte) módulos de comprimento. Ao centro, em um círculo branco, que simboliza o infinito, está o Brasão de Armas do Município de Mamborê.

Brasão:

O Brasão de Armas, de autoria do professor Sebastião Ferrarini, é um escudo do tipo samnítico, cortado horizontalmente por um filete preto que o divide em dois campos desiguais.

Campo superior: há um retângulo superior, em azul, onde resplandece o sol nascente, em sua cor, representando a força do homem brasileiro e a pujança do povo mamboreense, que se renova a cada amanhecer, em busca de soluções para o progresso do município. No retângulo inferior, em vermelho, há um arco e uma flecha, em sua cor, simbolizando as armas dos habitantes primitivos da região (Tupi-Guarani).

Ao lado dos dois retângulos, há um campo na cor azul, onde está impressa a letra “M”, em branco, encimada por uma coroa de estrelas, também em branco, simbolizando a padroeira do município, Nossa Senhora da Conceição.

Campo inferior: este é dividido em três partes desiguais, originados por acidentes geográficos da região. A faixa branca que atravessa horizontalmente, simboliza o Rio Goio-Bang, limite extremo do município. A faixa branca ondulada menor, que desce obliquamente, simboliza os rios Mamborê, Mutum, Gavião e outros afluentes do Goio-Bang.

O campo inferior do Escudo, em verde, simboliza a colônia Goio-Bang, que deu origem ao território de Mamborê.

Em  outro campo em verde, há um trator disposto sobre a terra agricultável em curvas de nível, simbolizando o cuidado técnico de cultura e exploração agropecuária.

No campo em amarelo, há uma chaminé e uma engrenagem, simbolizando a progressista indústria do município.

O escudo é encimado por uma Coroa Mural de oito torres, em branco (prata), com as portas e janelas em preto, sendo visíveis apenas cinco delas. Esta simboliza a autoridade municipal: o Legislativo e o Executivo do Município de Mamborê.

Ao lado direito há um ramo de pinheiro e, ao esquerdo, um ramo de erva-mate, ambos em sua cor verde, representando as primeiras riquezas do município.

Por baixo do Escudo, há um listel, em vermelho, unindo o ramo de pinheiro ao de erva-mate, tendo a seguinte inscrição, em preto: “25-07-60 MAMBORÊ 10-09-60”. A primeira data é a da criação do município e, a última, da instalação político-administrativa do mesmo.

Hino:

A letra do novo Hino Municipal de Mamborê é de autoria do professor Jayme Ferreira Bueno e a música, de autoria do professor e maestro Gotardo Ângelo Gerum, membro da COMOCI-PR.

Estes símbolos, do Município de Mamborê, foram oficializados em 1985, ano do Jubileu de Prata. Antes, havia outros símbolos.